“Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?”

Esta saudação foi feita pela mãe do arauto à mãe do Rei cujos caminhos o arauto estava destinado a preparar. João Batista, ainda encerrado no ventre materno, ao som das palavras de sua mãe, saltou de alegria para a mãe que lhe trazia Cristo a casa.

A resposta de Maria a esta saudação chama-se MAGNIFICAT, e é um cântico de alegria exultante pelo que Deus operou nela.

Num olhar retrospectivo para a história, para Abraão, ela viu a atividade de Deus preparando aquele momento de geração em geração; olhou, depois, para um futuro indefinido em que todos os povos e todas as gerações a chamariam bem-aventurada.

O Messias de Israel estava a caminho e aproximava-se o momento em que Deus se manifestaria na terra e na carne. Profetizou até as qualidades do Filho que havia de nascer dela; seria cheio de justiça e de misericórdia. Terminou o seu cântico proclamando a revolução que o Messias ia desencadear, depondo os poderosos e exaltando os humildes. *Trecho do Livro “A Vida de Cristo”, por  Venerável Fulton Sheen.

“Minha alma engrandece o Senhor,

e meu espírito exulta em Deus, meu Salvador,

porque olhou para a humilhação de sua serva.

Sim! Doravante as gerações todas me chamarão de bem-aventurada,

pois o Todo-Poderoso fez grandes coisas em meu favor.

Seu nome é santo,

e sua misericórdia perdura de geração em geração, para aqueles que O temem.

Agiu com a força de seu braço,

dispersou os homens de coração orgulhoso,

Depôs poderosos de seus tronos,

e a humildes exaltou.

Cumulou de bens a famintos

e despediu ricos de mãos vazias.

Socorreu Israel, seu servo, lembrado de sua misericórdia conforme prometera a nossos pais – em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre!

Lc 1:46-55

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.